Sexta-feira ou vida selvagem

Olá ! Aqui ficam informações sobre o ivro "Sexta-feira ou vida selvagem".

 

Personagens – Breve Descrição
Robinson – Um rapaz que vivia em York de origem Inglesa fez uma viagem que iria desembarcar no Chile com objectivo de explorar a América do Sul e organizar trocas comerciais ente o seu país e o Chile. Era um homem que deixava em York uma mulher e dois filhos e vivia agora numa ilha deserta. Era trabalhador, desconfiado e para ele governante era governante, empregado era empregado. Vivia sufocado com o desespero de entrar no lago de lama. Descobrira que tinha de aproveitar a vida e que se sentia mais novo na ilha do que na sua cidade.  
Sexta-feira – Um índio selvagem, fugido aos rituais índios de punir quem a feiticeiro tomasse por culpado. Tornara-se amo de Robinson, e cumpria todas as sua regras mas não as compreendia. Um dia sufocado pelo árduo trabalho comete um loucura que leva á explosão de todo a ilha. A partir desse momento torna-se muito amigo de Robinson cortando a ideia de amo e governante. Era muito amigo dos animais e tratava todos de maneira igual. Não desistia facilmente dos seus objectivos e ficara iludido com uma embarcação “WhiteBird” abandonando assim tudo que até ai conquistara na ilha.
Jean / Domingo – Um rapaz que vivia abafado pela árduo trabalho na embarcação “WhiteBird” sem direito a ter a sua própria opinião e liberdade fugira dessa mesma embarcação para ficar na ilha deserta com Robinson. Aí foi-lhe dado o nome de Domingo por ser dia de Festas e este ter chegado nesse mesmo dia.
Tenn – Tenn era o cão do “Virgínia” e vivera nos destroços da embarcação até ser encontrado por Robinson. Era companheiro e amigo do seu dono. Muito humilde e cumpridor vivia dividido em acompanhar Sexta-feira ou Domingo. Morrera após a explosão da ilha.
Anda – Anda era um cabrinha branca encontrada com uma pata partida por Sexta-feira. Não parava quieta andava sempre aos saltinhos e foi tratada por Sexta-feira. Tinha uma enorme amizade por Sexta-Feira andando sempre com ele, dormindo sempre agarrada a ele. Fora depois raptada por Andoar que tratara dela como uma irmã mais nova.
Andoar – Andoar era o rei dos Bodes de Speranza. Ficara apaixonado pela Cabrinha branca Anda raptando-a dos braços de Sexta-feira. Salvara a vida de Sexta-feira quando estes lutavam pela cabrinha branca Anda. Era um bode imensamente forte. 
Personagens Secundárias  


Pieter Van Dayssel
Lucy
Ratos Pretos
Ratos Cinzentos
Papagaios
William Hunter
Joseph
 
Resumo Final
Robinson viajava a bordo do Virgínia com o objectivo de organizar trocas comercias entre o seu país e o Chile e explorar a América do Sul. Uma tempestade instalou-se na zona em que viajava. O navio não suportou os abalos e naufragou. Robinson foi o único sobrevivente do naufrágio. Quando acordou encontrava-se numa ilha deserta. Robinson decidiu construir um barco que o pudesse levar da ilha. Para além disso transportou vários mantimentos e explosivos do “Virgínia”. No dia seguinte, começou a construir a sua nova embarcação a que chamou “Evasão”. Pouco tempo depois começou a construir uma verdadeira casa em vez da sua gruta e um relógio de água: clepsidra.
Passado algum tempo, reparou que os índios (que já não via há muitos meses) voltavam à ilha e escondeu-se na fortaleza. Desta vez, o índio considerado culpado escapou ao sacrifício e fugiu em direcção a Robinson. Robinson chamou-lhe sexta-feira porque o encontro dos dois se tinha dado nesse dia da semana. Sexta-feira aprendeu a falar a língua de Robinson e passou a ter uma rotina que implicava trabalhar todos os dias. Sexta-feira cooperou, mas não compreendeu. Até que certo dia, depois de uma série de distracções, se deu a explosão. Tenn, o fiel cão, morreu.
E numa altura em que os dois viviam felizes chegou um barco para resgatar Robinson. Robinson não queria partir. Sexta-feira embarcou, contra conselhos de Robinson. Em seu lugar ficou ''Domingo'' - um paquete jovem e infeliz que conseguiu escapar do barco e pediu ajuda a Robinson.
A minha opinião sobre o livro
Na minha opinião o livro é de fácil leitura e interessante. Salienta a ideia que devemos cuidar do que nos faz felizes e que nem sempre uma maior movimentação é sinal de felicidade.
Gostei de ler este livro embora ache que devia haver um pouco mãos de animação na história. É memorável e de fácil interpretação.
 
Rita Teixeira
 

 

publicado por Rita Teixeira às 20:10 | link do post | comentar